Um homem, de 50 anos, morreu após ser baleado em uma propriedade rural, às margens da BR-158, em Planalto, neste domingo (15), segundo a Polícia Civil.

De acordo com a polícia, o responsável pelos disparos é dono da propriedade e disse que atirou após o local ser invadido. A arma de fogo era registrada.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Para a polícia, o proprietário relatou que os supostos invasores atiraram, por isso, ele revidou os disparos em legítima defesa.

O delegado Rômulo Contin Ventrella informou que, segundo a perícia, a troca de tiros não se confirma, mas a alegação do suspeito continua sendo investigada.

“A perícia esteve no local e não foram encontrados estojos deflagrados de arma de fogo ou eventuais marcas que denotassem disparos. A vítima tem um histórico recente de distúrbios mentais, não é uma pessoa violenta, não foi encontrado qualquer tipo de arma de posse dela, inclusive, ela estava descalça quando foi alvejada”, disse.

Caso a legítima defesa seja descartada, o dono da propriedade poderá responder por homicídio, conforme a polícia.

De acordo com a família da vítima, o homem tinha distúrbios mentais e, por isso, sofria alguns surtos, mas não apresentava riscos para outras pessoas.

Segundo o delegado, o suspeito de atirar contra a vítima foi quem acionou a Polícia Militar (PM) após o ocorrido. Por isso, ele prestou depoimento, mas não foi preso em flagrante.

A Polícia Civil ouviu testemunhas, policiais militares e familiares da vítima.

O corpo dele foi levado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Pato Branco, também no sudoeste.

Portal Guaíra com informações do G1