Uma operação conjunta realizada na manhã de ontem pela Polícia Federal, em parceria com a ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), o Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente) e a Polícia Militar, em aproximadamente 80 quilômetros no leito do Rio Iguaçu, no Parque Nacional do Iguaçu, na região de Capanema, resultou na apreensão de cinco barcos, material de pesca e na destruição de um acampamento clandestino, dentro do Parque, que abrigava pescadores e caçadores e era usado para a extração ilegal de palmito.

As primeiras equipes foram pela água logo pela manhã e outras monitoraram o movimento no parque à tarde. Foram elas que encontraram 300 árvores de palmitos já cortadas. Não houve prisões durante a operação, acompanhada com exclusividade por O Paraná, mas o grupo vai monitorar a movimentação e investigar quem está fazendo a extração do vegetal.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Os barcos apreendidos foram levados à margem e destruídos. Com os cinco de ontem, agora são 22 embarcações como essas em condição irregular retiradas do lago e destruídas. A pesca no entorno do Parque Nacional do Iguaçu só é permitida de forma artesanal e com a utilização de varas na barranca do rio.

Segundo o agente Gildeto Meira, da Polícia Federal, ações como essas estão sendo realizadas com frequência. O objetivo é coibir a presença irregular de embarcações e impedir crimes ambientais em todo o parque.

Fonte: Juliet Manfrin – O Paraná

Fotos: Ailton Santos