ad

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal no Tocantins realizam uma ação na manhã desta segunda-feira para combater uma quadrilha especializada na lavagem de dinheiro do tráfico internacional de drogas. A Operação Turuna dá continuidade a uma investigação de 2002, que tem como alvos traficantes que já estão presos. Segundo a PF, uma extensa rede de postos de gasolina em Araguaína (TO) participava do esquema.

Para lavar o dinheiro, a empresa fazia o chamado de transbordo, quando a bomba é colocada no local de entrada do tanque subterrâneo, fazendo com que seja registrada a saída do combustível, mas sem nenhuma venda efetuada. Além do transbordo, outras técnicas de lavagem foram utilizadas.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Cinquenta policiais federais do Tocantins, Maranhão e Pará cumprem oito mandados de busca e apreensão, além de ordens judiciais de sequestro de bens em Araguaína e cidades da região do Bico do Papagaio (extremo norte do TO) e sul do Pará.

A Operação Turuna está relacionada com as operações Diamante e Pérola, deflagradas pelo MPF e Polícia Federal nos anos de 2002 e 2009. A ação teve início com a investigação de lavagem de dinheiro do tráfico. No entanto, há indícios de outros crimes, como de formação de quadrilha, falsidade ideológica e sonegação fiscal, já que o dinheiro lavado pelo esquema não era declarado à Receita Federal. Também foram encontrados indícios de formação de cartel para imposição do preço dos combustíveis vendidos em Araguaína.

Fonte: Terra