O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) acaba de cassar o mandato do deputado estadual Fernando Francischini (PSL) por seis votos a um. Além de cassar o mandato do parlamentar, a corte decidiu por manter ele inelegível por oito anos.

Francischini era acusado de uso indevido dos meios de comunicação, bem como abuso de poder político e de autoridade, práticas ilegais previstas no artigo 22 da Lei Complementar nº 64/1990 (Lei de Inelegibilidade). Ele foi eleito em 2018 com 427.749 votos (7,51% dos votos válidos). Nesse período, o quociente eleitoral (número de votos necessários para cada coligação eleger um deputado) calculado em 105 mil votos, logo, a votação de Francischini puxou outras quatro cadeiras –que serão perdidas, com a cassação confirmada pelo TSE.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Agora o TSE deve computar os votos e, com a cassação do parlamentar, o Oeste do Estado deve ganhar três cadeiras, que seriam ocupadas pelo cascavelense Adelino Ribeiro, por Elio Rush e também por Nereu Moura.

Com o resultado o PSL perderá quatro cadeiras na Assembleia. Ocorre que, sozinho, Francischini somou mais de 427 mil votos, puxando consigo vários deputados do partido com votação pequena. Todos esses votos também serão considerados nulos, a exemplo do que já aconteceu com os sufrágios do Subtenente Everton. Perderiam seus mandatos os atuais deputados Francischini, Do Carmo, Emerson Bacil e Subtenente Everton.

Portal Guaíra via Assessoria