(Foto: Geraldo Bubniak)

ad

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) trocou o juiz das varas criminais onde correm duas ações penais contra o ex-governador Beto Richa (PSDB).

Uma portaria assinada pelo presidente do TJ, desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira, no dia 7 de junho, altera os juízes de três subseções criminais.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Entre as mudanças, o juiz substituto Fernando Bardelli Silva Fischer deixa a 9ª e a 13ª Vara Criminal de Curitiba, onde correm as ações das operações Quadro Negro e Rádio Patrulha, respectivamente.

Na Quadro Negro, que investiga desvios no contrato de licitação de obras em escolas públicas, Beto Richa é acusado pelo Ministério Público de corrupção passiva obstrução de justiça, organização criminosa e prorrogação e vantagem indevida em licitações.

O ex-governador também é réu por corrupção passiva e fraude a licitação na Operação Rádio Patrulha, que apura fraude em licitações para recuperação de estradas rurais, entre 2012 e 2014.

Foi Fernando Fischer que expediu o primeiro mandado de prisão preventiva contra o ex-governador Beto Richa, em 11 de setembro de 2018.

Quem assume o posto no lugar de Fischer é o juiz José Daniel Toaldo.

O que diz o TJ-PR
De acordo com o TJ-PR, foi feita uma reestruturação dos juízes substitutos das varas criminais com base no volume de trabalho, “visando maior organização e celeridade processual, a fim de que os magistrados possam atuar de forma equitativa”.

O tribunal informou que foi feita uma “detalhada análise do volume trabalho das Varas Criminais de Curitiba

Segundo o tribunal, os magistrados escolheram a subseção de destino.

“Não houve, portanto, por parte da Administração deste Tribunal, a intenção de afastar um ou outro magistrado de qualquer processo por ele presidido”, informou o TJ-PR.

Portal Guaíra com informações do G1 PR