O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) negou quatro recursos da defesa ao ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho. Ele é acusado de matar duas pessoas em um acidente de carro em Curitiba, em 2009. Cabe recurso da decisão.

Desta forma, ele poderá ser submetido a júri popular, ainda em 2015, conforme já havia ordenado o TJ anteriormente.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Na época da batida, foi constatado que ele dirigia em alta velocidade, com a carteira de habilitação suspensa e ainda com indícios de embriaguez.

A decisão do TJ-PR não exclui as denúncias formuladas pelo Ministério Público contra o ex-parlamentar. Ele deverá responder na Justiça por duplo homicídio com dolo eventual, ou seja, quando se assume o risco de matar.

Veículo (Honda/Fit) onde estavam as vítimas
Veículo (Honda/Fit) onde estavam as vítimas

Processo se arrasta
Embora o acidente tenha acontecido há cinco anos, Carli Filho sequer foi julgado em primeira instância pelo acidente. A cada novo movimento processual, a defesa do ex-deputado produz recursos em instâncias superiores, retardando o julgamento do caso.

Ainda que seja condenado, ele poderá continuar recorrendo das decisões judiciais e o trânsito em julgado – quando os recursos já não são mais possíveis – pode levar anos até acontecer.

Conforme os laudos da Polícia Científica, o ex-deputado estava dirigindo o carro em uma velocidade que pode variar de 161 km/h a 173 km/h. A avenida onde aconteceu o acidente tem velocidade máxima permitida de apenas 60 km/h. Com a repercussão negativa em torno da imagem do então parlamentar, ele deixou a vida pública.

Já os pais dos jovens mortos ainda mantêm campanhas de conscientização contra a embriaguez ao volante.

Veículo (VW/Passat Alemão) conduzido pelo deputado Carli Filho
Veículo (VW/Passat Alemão) conduzido pelo ex-deputado Carli Filho

Portal Guaíra com informações do G1