(Foto: RicMais)

Foi preso na noite de quarta-feira (17), na Travessa Nestor de Castro, no Centro de Curitiba, o suspeito de matar o professor José Rodrigo Angelo de Souza. Mateus Barbosa teve prisão preventiva decretada por homicídio pela Justiça e foi detido por guardas municipais ao correr em uma tentativa de abordagem de rotina.

De acordo com informações apuradas pela equipe da RICtv, Barbosa é morador de Campo Magro, na Região Metropolitana, mas as investigações da polícia apontam que ele costuma perambular pelo Centro de Curitiba para cometer crimes. O suspeito estava na Travessa Nestor de Castro, a poucos metros do ponto onde o professor foi esfaqueado, quando viu a viatura da Guarda Municipal, saiu correndo e foi alcançado.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Como havia um mandado de prisão contra ele, o suspeito foi preso e encaminhado para a delegacia. Nesta quinta-feira (18), o homem foi para o Centro de Triagem da capital. O advogado de Barbosa, Thiago Luiz Ventura, contou que a defesa recebeu com surpresa a decretação de prisão do suspeito.

“Respeitamos a decisão judiciária, mas discordamos, com todo o respeito. O nosso cliente compareceu de forma espontânea, com seus advogados, à delegacia, está à total disposição da Justiça. Ademais, já tinha passado o prazo do flagrante. Todavia a defesa estará entrando imediatamente com os pedidos cabíveis de revogação preventiva, tendo em vista que nosso cliente possui sim os requisitos para responder o processo em liberdade”, pontuou Ventura.

O advogado afirmou que Barbosa confessou o crime, mas deixou claro que não houve a intenção de praticar o homicídio. “Foi uma situação acalorada que ocorreu essa fatalidade e mais uma vez, não teve a intenção de praticar o homicídio.

O suspeito já tinha passagens pela polícia, inclusive por latrocínio.

Professor de educação física é morto a facadas

O professor Souza foi esfaqueado na Travessa Nestor de Castro, no Centro, na noite de 28 de julho deste ano. Ele estava com a namorada quando foi perseguido por um grupo de pessoas e agredido na rua. O suspeito, Barbosa, teria dado uma facada na vítima, que chegou a ser socorrida e encaminhada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada do dia 29.

Em 30 de julho, o suspeito se apresentou na delegacia, foi ouvido e liberado. Em depoimento, Barbosa afirmou que foi fazer “a defesa da esposa da vítima”. Segundo ele, a mulher estava pedindo por socorro, o que foi contestado por ela, que disse que o companheiro estava apenas falando alto.

Portal Guaíra com informações do Ric Mais