Uma câmera de segurança de um mercado flagrou, na sexta-feira (25), o momento em que um homem acessou o estabelecimento e comprou um kit churrasco, composto por uma faca e outros objetos. Instantes depois, o indivíduo, com a mesma roupa e características semelhantes, aparece invadindo uma loja maçônica, no bairro Novo Mundo, em Curitiba, onde uma jovem foi encontrada morta com ferimentos causados por golpes de faca.

A vítima foi identificada como Celine Pereira Antunes, de 22 anos. A jovem era funcionária da loja, entretanto, estava de folga na sexta-feira. De acordo com a investigação, a suspeita é que a mulher tenha acessado o local em uma tentativa de fugir do agressor. O homem foi flagrado no mercado, adquirindo a faca, às 8h56, e às 9h58 aparece tentando arrombar a porta da loja maçônica.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar, é possível que o caso se trate de um feminicídio. “O cenário de toda a ocorrência, de toda a situação, e com as imagens que a instituição forneceu, foi possível verificar que foi um homem que atacou a vítima”, explicou o Major Kredens. Há indícios ainda de que o suspeito se trate de um ex-companheiro da jovem, pai do filho dela, de 2 anos. O homem já tinha passagens pela polícia.

As imagens da câmera de segurança instalada na loja maçônica, onde aconteceu o crime, e câmera do supermercado, mostram o mesmo homem. A principal suspeita é que o ex-companheiro de Celine tenha cometido o crime.

Celine foi encontrada morta pela manhã, por uma colega que tinha chegado para trabalhar. A testemunha contou que viu vidros quebrados ao entrar no estabelecimento e a mulher caída, com muito sangue. De acordo com o delegado Thiago Teixeira, a mulher chegou a loja maçônica sozinha e, na sequência, um suspeito entrou no local, quebrando a porta. O delegado também confirmou que a vítima foi assassinada com golpes de faca.

A princípio, a situação será investigada pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), mas caso tenha indícios de feminicídio, o processo irá para a Delegacia da Mulher.

Portal Guaíra com informações da Ric Mais