O homem réu por matar duas idosas, de 65 e 68 anos, a tijoladas, em Antonina, no litoral do Paraná, será levado a júri popular.

Carlos Eduardo Policarpo, de 38 anos, é acusado por duplo homicídio qualificado, com uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, por motivo torpe e motivo fútil.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Ele está preso desde a data do crime, registrado no dia 6 de janeiro.

De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), a decisão de enviar o caso ao Tribunal do Júri foi publicada pela Vara Criminal de Antonina na quinta-feira (8), e considerou que, no caso, houve indícios de crime doloso contra a vida.

As vítimas eram vizinhas e amigas. As investigações apontaram que o réu matou as vítimas por causa de uma discussão envolvendo o pagamento de um serviço de roçada, no valor de R$ 50.

O G1 tenta localizar a defesa do réu.

Idosas foram mortas a tijoladas
Segundo a investigação da Polícia Civil, o réu foi até a casa de uma das vítimas tentar rediscutir o dinheiro pago pela roçada, por não concordar com o valor.

Durante a discussão, ele agrediu uma das idosas com um tijolo. Em seguida, o homem foi até a casa da vizinha, onde faria um outro serviço. Ele levou o celular da primeira vítima.

Na segunda residência, o homem tentou se passar pela vítima, enviando uma mensagem de texto do celular dela para a vizinha, dizendo que não estava se sentindo bem. O objetivo do acusado, conforme a investigação, era tentar simular um acidente.

Apesar disso, a vizinha chamou familiares da vítima e pediu socorro. A Polícia Civil informou que o homem não gostou que a segunda idosa pediu por ajuda e, por isso, também a matou.

Carlos Eduardo foi preso depois de um cerco montado pela polícia. De acordo com a Polícia Militar (PM), no momento da prisão, ele disse que tomava remédios controlados.

Portal Guaíra com informações do G1