A propriedade de Sélio Haach, em Honório Serpa (PR), enfrentou um problema incomum para a maioria dos produtores de soja, mas recorrente naqueles 2 hectares. Um raio caiu em plena lavoura e praticamente matou toda a soja plantada em uma área de 100 metros quadrados. Ao verificar a área afetada, o filho do agricultor ainda identificou alguns buracos no solo, com até 3 metros de profundidade.

“Isso aconteceu no começo de dezembro e não nos surpreendeu, pois já é a quinta vez em 10 anos que um raio cai ali naqueles 2 hectares. A primeira vez, a propriedade ainda era de nosso vizinho, que acabou perdendo 2 vacas. Há cinco anos, caiu outro raio e destruiu nossa cerca elétrica. E desta vez foi bem forte e fez os buracos”, afirma Renan Haach, filho de Sélio.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O raio fez buracos que parecem terem sido feitos por um tatu, na área.

“Essa quinta vez, foi o raio mais forte de todos e fez esses buracos no chão. Por curiosidade amarrei uma porca de parafuso em uma linha e coloquei no burcado para ver a profundidade, acabou descendo quase três metros. Dá medo né, foi muito forte mesmo. A casa fica há um pouco mais de 200 metros de onde aconteceu”, diz Renan.

A soja que ali estava, foi plantada na primeira quinzena de outubro, janela normal para a região. A expectativa, segundo Renan, é colher uma média de 80 sacas por hectare.

“Notamos que teve soja afetada até 15 metros de distância de onde caiu o raio, mas essas não morreram. Dá para ver como ficou a área logo no dia seguinte do raio”, diz Renan.

A área não deve ser replantada devido à pequena extensão dos problemas. No ano retrasado, a área que antes era pastagem, virou lavoura de soja pela primeira vez.

Portal Guaíra com informações do Canal Rural