Um bebê de apenas sete meses aguarda transferência para o Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Universitário (HU) de Londrina. Ele teve 80% do seu corpo queimado pelo próprio pai na noite de sábado (3), no Jardim Nova Independência, em Sarandi (região metropolitana de Maringá).

Uma discussão entre Aílton Ruiz, de 36 anos, e a esposa, Gislaine Cristina Alves, teria feito a criança começar a chorar. Supostamente bêbado, Ruiz jogou tíner  (solvente para tintas muito utilizado em oficinas de funilaria e pintura de automóveis, é altamente inflamável) sobre o carrinho onde estava seu filho e ateou fogo com um isqueiro.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Um vizinho ouviu os gritos do bebê e o socorreu. A criança foi inicialmente levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sarandi e depois transferida ao Hospital Metropolitano de Sarandi.

Às 10h40 deste domingo, o menino ainda estava internado na UTI Neonatal do Metropolitano e aguardava a avaliação de uma médica do Hospital Universitário de Maringá para poder ser transferido.

Como o Centro de Queimados do HU de Londrina é o único capaz de atender a gravidade do caso, o bebê deverá ser transferido para lá – até o momento, no entanto, as seis vagas da unidade estão ocupadas.

Tanto o pai quanto a mãe da criança seriam usuários de drogas. Eles têm 08 filhos, mas já perderam a guarda de sete por intervenção do Conselho Tutelar de Sarandi.

Aílton Ruiz e Gislaine Cristina Alves foram presos pela Guarda Municipal local e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil. Ambos irão responder por tentativa de homicídio. Ruiz confessou o crime.

carrinho-de-bebe-queimado-em-saradi

Portal Guaíra com informações da CGN/Bonde