ad

O número de autuações por fraude de energia no Paraná cresceu 23% no Paraná em 2015. De acordo com informações da Companhia Paranaense de Energia (Copel), durante todo o ano de 2014 as equipes de inspeção flagraram 13 mil ligações irregulares, ou seja, uma média de 1.096 autuações por mês. Neste ano, foram 9.447, com média de 1.350 ocorrências a cada 30 dias.

Segundo a Copel, o aumento no número de procedimentos irregulares encontrados tem relação, principalmente, com o aumento da efetividade das inspeções realizadas. Desde 2013, a Companhia conta com uma área especifífica para combater o furto de energia e emprega sistemas modernos para identificar e inspecionar imóveis com maior chance de apresentarem fraudes.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

No entanto, há outro fator que não pode ser irrelevado: em 2015, os consumidores tiveram de encarar dois reajustes na tarifa de energia elétrica. O primeiro deles entrou em vigência no dia 2 de março, com reajuste médio de 36,79%. O segundo veio no dia 24 de junho, trazendo uma alta de 15,32%.

RMC

Do total de autuações neste ano, aproximadamente 29% foram aplicadas contra consumidores de Curitiba e Região Metropolitana. Ao todo, foram verificadas 2.751 infrações na região até julho, número maior, por exemplo, que o total registrado em 2013 (2.641). Na comparação com 2014, embora o número total de autuações ainda não tenha sido igualado (foram 13.156 no ano passado, um recorde), a média mensal revela um crescimento de 8,6%, com média de 393 procedimentos irregulares descobertos por mês, 31 a mais do que em 2014.

Atualmente, as perdas comerciais causadas por furto representam 2,71% do total da energia comercializada pela Copel, um dos menores índices do país. A forma mais comum de furtar energia é a adulteração de medidores para registrar consumo menor do que o real.

PERIFERIA CURITIBAPortal Guaíra com informações Bem Paraná