Luiz Abi, primo de segundo grau do governador Beto Richa (PSDB)

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) cumpriu, desde o final da tarde de segunda-feira (16), pelo menos cinco mandados de prisão em Londrina, Curitiba e Cambé.

A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Londrina revelou que as prisões dessa segunda-feira fazem parte de uma terceira vertente das investigações que tiveram início em janeiro após a prisão do auditor fiscal Luiz Antônio de Souza. De lá para cá, o Ministério Público (MP) apresentou diversas denúncias contra os suspeitos de integrarem o esquema de exploração sexual e iniciou, ainda, apuração envolvendo um suposto enriquecimento ilícito de auditores da Receita Estadual em Londrina.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A terceira vertente, conforme a promotoria, envolve supostos danos ao patrimônio do Governo do Estado. Um dos mandados de busca e apreensão foi cumprido em uma oficina mecânica de Cambé, que segundo informações apuradas pela reportagem presta serviços a órgãos estaduais.

O proprietário do Providence Auto Center, Ismar Ieger, foi preso preventivamente e encaminhado ao Gaeco na noite de segunda-feira. A prisão foi decretada pelo juiz titular da 3ª Vara Criminal de Londrina, Juliano Nanúncio, após pedido do Ministério Público.

As investigações começaram há cerca de quatro meses e pretendem apurar se houve superfaturamento nos serviços prestados pela oficina ao Governo do Estado. Em dezembro do ano passado, a empresa firmou um contrato emergencial no valor de R$ 1,5 milhão por seis meses.

Também foi preso, mas em Curitiba, Luiz Abi, primo de segundo grau do governador Beto Richa (PSDB). O MP ainda não informou qual seria o seu envolvimento no esquema.

Por volta das 20h, chegou ao Gaeco o empresário Roberto Tsuneda, proprietário da KLM Brasil Indústria Eletrônica, de Cambé. Ele também foi detido preventivamente para que o Ministério Público apure irregularidades nos contratos entre a sua empresa e o Governo do Estado.

O quarto detido é o advogado José Carlos Lucca, de Londrina. Seu grau de envolvimento nos crimes investigados não foi divulgado pelo Ministério Público.

Luiz Abi, primo de segundo grau do governador Beto Richa (PSDB)
Luiz Abi, primo de segundo grau do governador Beto Richa (PSDB)

Portal Guaíra com informações do Bonde/CGN