O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen-PR) está transferindo presos com sintomas da Covid-19 de Maringá, no norte do Paraná, e outras cidades da região para a nova cadeia pública de Campo Mourão, no centro-oeste do estado, que ainda não foi inaugurada.

De acordo com o Depen-PR, o local foi escolhido por estar vazio e ter 380 vagas. Segundo o departamento, foi montado um ambulatório no local, onde trabalha uma equipe de saúde.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

As obras de construção da nova cadeia pública começaram em 2014. A primeira previsão, era que o local recebesse presos em 2015. No entanto, a obra atrasou.

O coordenador regional do Depen-PR em Maringá, Luciano Brito, disse que a cadeia tem previsão de ser inaugurada até o início de agosto e foi transformada em uma unidade sentinela.

“Para lá vão apenas os presos com algum sintoma e ficam por 14 dias em quarentena, o que é o recomendado pelos médicos”, afirma Brito.

Ainda de acordo com o coordenador, os presos transferidos para unidade são de sete comarcas de Maringá e região.

Brito informou que três detentos que realizaram o exame tiveram a confirmação da doença, enquanto estavam em isolamento na unidade. Dois presos vieram da Cadeia Pública de Maringá e outro da de Mandaguari, também no norte.

Segundo a secretário de saúde de Campo Mourão, Sergio Henrique dos Santos, 35 presos estão na cadeia, sendo 19 detentos de Maringá, 14 de Cruzeiro do Oeste e outros dois de Campo Mourão.

“Temos uma equipe que vai diariamente até o local para realizar o monitoramento dos pacientes”, disse o secretário.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) e o Depen-PR informaram que estão adotando diversas medidas para impedir a contaminação de agentes e detentos do sistema prisional do Paraná.

Segundo a secretaria, houve distribuição de máscaras para presos e servidores, além de divulgação sobre sintomas da infecção e formas de evitar o contágio.

Portal Guaíra com informações do G1