A Polícia Civil de Maringá acredita que os atiradores que assassinaram um jovem na madrugada de quarta-feira (2) e outra pessoa na tarde do mesmo dia durante o velório na vítima tenham errado o alvo nas duas vezes. Os policiais estão trabalhando com a hipótese que o mesmo grupo praticou os dois atentados e errou o alvo criminoso em ambas as situações, resultando em dois inocentes mortos.

A primeira vítima fatal foi identificada como José Augusto de Oliveira Santiago, de 19 anos. Ele foi morto com cerca de 30 tiros pelos criminosos que invadiram a residência e antes disso torturaram o rapaz com coronhadas na cabeça.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Durante o velório de José, na tarde do mesmo dia, os assassinos foram até o local e balearam outras três pessoas. Uma das vítimas morreu e outras três ficaram feridas.

O mesmo grupo

De acordo com Diego Almeida, Delegacia de Homicídios e Proteção à Família, de Maringá, a polícia acredita que o grupo tenha errado o alvo nas duas ocorrências. “No primeiro homicídio, o alvo era o irmão da vítima. Ele estava no velório quando aconteceu o segundo atentado. Já identificamos os autores do primeiro homicídio. Estamos realizando as investigações para acabar de vez com estes crimes”, afirmou.

Portal Guaíra com informações da Ric Mais