A Polícia Civil identificou sete empresas suspeitas de furtar energia elétrica durante a segunda etapa da operação “Quilowatts Hora”, desencadeada na quinta-feira (27). A operação foi realizada em quatro cidades de Paraná.

De acordo com o delegado Ademair Braga Júnior, são frigoríficos, abatedouros e empresas de embalagens que ficam nas cidades de Itapejara do Oeste e Capanema, no sudoeste do Paraná, Cantagalo, na região central, São Jorge do Oeste, na região oeste do estado.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Conforme a Polícia Civil, a operação foi desencadeada após a investigação de um homem que é suspeito de falsificar documentos para financiar veículos. Durante a investigação, a polícia descobriu que ele também vendia para empresas um dispositivo eletrônico para alterar o consumo de energia. Ele está foragido.

Na casa do suspeito, os policiais encontraram cheques de várias empresas, e na primeira etapa da operação sete empresas da região foram vistoriadas. Em todas a polícia encontrou indícios de alteração no consumo de energia.

“Nas hipóteses onde foi constatado a fraude, a economia girava em torno, no mínimo, de 33%, ou seja, um terço da energia consumida era, de certa forma, sonegado ou furtado”, comenta o Júnior.

Ainda segundo Ademair, a operação vai continuar para que novas empresas sejam vistoriadas. Nas empresas onde o furto for confirmado, os proprietários vão ser indiciados por furto de energia, estelionato e organização criminosa. As empresas também serão multadas.

FURTO-ENERGIA-NO-PARANA

Portal Guaíra com informações G1