Dezessete policiais militares que se recusaram a integrar o cerco feito em torno da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), na tarde de quarta-feira (29), teriam sido presos por desobediência.

A informação foi repassada por uma fonte da Polícia Militar ao correspondente Julio Cesar Lima, do jornal O Estado de S. Paulo, mas o comando da polícia entrou em contato com o Portal Bonde durante a noite para negar que os soldados tenham sido presos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Leia também:
Curitiba – Sessão prossegue, ignorando “guerra” externa

A PM também não confirma os atos de desobediência. Durante o confronto entre manifestantes e policiais, 213 pessoas ficaram feridas, entre elas 20 PMs. Deste total, 150 foram atendidas em ambulâncias posicionadas no Centro Cívico de Curitiba e outras 63 foram levadas a hospitais e unidades de saúde da capital.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp), sete pessoas, apontadas como black blocks, foram presas.

CONFRONTO-ALE-CURITIBA

Portal Guaíra com informações do Portal Bonde/CGN