A Polícia Civil segue a procurada do padrasto acusado de torturar bebê de um ano e dois meses, em Telêmaco Borba, região dos Campos Gerais, no Paraná.

A justiça já emitiu o mandado de prisão preventiva contra o acusado de espancar e queimar a criança possivelmente com água quente, na última quarta-feira 27 de maio.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O menino foi levado às pressas à UPA (Unidade de Pronto-Atendimento), mas o quadro era delicado e então a equipe o enviou para tratamento no hospital de referência. O bebê morreu na quinta-feira (28).

A mãe foi ouvida pela Polícia Civil e negou qualquer participação no crime revelando que também era uma vítima do companheiro com quem vivia há algum tempo. Não está descartado o envolvimento dela no caso.

O corpo do bebê foi encaminhado ao IML (Instituto Médico-Legal) para tentar identificar quais foram os ferimentos e com qual substância ele foi queimado.

Denúncias sobre o acusado podem ser repassadas pelo 190 e 197 de forma anônima e gratuita.

Portal Guaíra com informações da Catve