(Foto: Pixabay)

Uma família, de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, descobriu em maio de 2021 que o avô, de 75 anos, teria abusado da neta, de apenas três anos. Passados oito meses da denúncia, o homem que diz não ser culpado, ainda não foi chamado para prestar explicações à delegacia. A família, inconformada, quer justiça.

A avó da criança, relatou à equipe da RICtv como foi o momento em que a menina contou o que o avô fazia com ela.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Eu estava na sala assistindo televisão e ela estava brincando, daqui a pouco ela veio e muito nervosa e chorando disse que queria contar uma coisa. Me fez umas perguntas muito esquisitas que eu achava até que era de algum desenho que ela tinha visto, aí ela começou a me contar que o avô beijava ela na boca, beijava as partes íntimas, passava as partes íntimas nela. Para mim, meu mundo acabou ali”, disse a avó.

De acordo com o relato da criança, os abusos aconteciam quando ela ficava sozinha com o avô. Ao descobrir, a família pediu um laudo ao Instituto Médico Legal (IML), que não apontou penetração.

A família cortou relações com o homem, mas ele entrou em contato para pedir perdão. “Não sei o que te dizer , aconteceu, o inimigo é astuto […] não abusei nunca, só foi alguns beijo”, disse por mensagem.

Em entrevista à equipe RICtv, o homem confessa que “teve uns abraços, uns beijinhos. Mas coisa de estupro, isso aí nunca aconteceu […] foi uma consequência da hora ali… rapidinho e passou”, disse.

Até o momento, a Delegacia da Mulher e do Adolescente de São José dos Pinhais, apenas emitiu uma liminar de afastamento, mas a família quer que o homem “pague em vida” o que fez.

Portal Guaíra com informações da Ric Mais