A Polícia Rodoviária Estadual começou a usar novos bafômetros que identificam o grau de alcoolemia sem precisar que o equipamento entre em contato com boca dos motoristas. A novidade, que ainda está em fase de teste, passou a ser usada neste feriado de Finados.

O etilômetro passivo, como é chamado, é usado a uma distância de 10 centímetros entre o rosto do motorista e o equipamento. Quando o condutor sopra, a tela do equipamento indica a presença ou não de álcool.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“É bem melhor. Assopra de longe, não tem contato com o aparelho, é menos perigoso”, disse um motorista.

“Excelente iniciativa, o vírus pode estar ali [no equipamento]”, afirmou outro usuário das rodovias estaduais.

O Paraná tem 12 etilômetros passivos que foram entregues junto com os carros novos adquiridos para a Polícia Rodoviária Estadual. Como o estado tem seis companhias, cada uma recebeu dois equipamentos.

Cada aparelho custou R$ 2 mil e foram comprados por concessionárias de pedágio que têm convênio com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

A novidade foi aprovada por motoristas e policiais. Nos casos em que são identificados a presença de álcool no sangue, a denúncia é instantânea e chamativa.

“A partir do momento que esse equipamento, que está em testes, detectar algum nível de ingestão de bebida alcóolica, esse condutor será submetido ao teste tradicional que é certificado pelo Inmetro e emite a guia do valor aferido, o laudo do teste”, explicou o subtenente da PRE, Adalberto Alves da Silva.

A expectativa dos policiais é que uma vez que o novo bafômetro seja aprovado ele permaneça em uso inclusive depois da pandemia, já que além de garantir maior segurança para saúde de policiais e usuários, gera menos custo e agiliza o trabalho nas estradas.

“O outro aparelho tem a necessidade de descartar o bocal utilizado, gerando um custo ao Estado. Com esse novo equipamento não há custo agregado”, afirmou o subtenente.

Portal Guaíra com informações do G1