[dropcap color=”#dd3333″]U[/dropcap]m caso de sequestro remoto, registrado no último domingo (25), em Curitiba, chamou a atenção da Polícia Civil e reascendeu o alerta para esta época do ano, em que as pessoas recebem o 13º salário. Na situação, uma mulher foi mantida “refém” via telefone por quase 24 horas, enquanto os suspeitos afirmavam que tinham sequestrado sua filha.

Familiares relataram que a situação aconteceu no momento em que a jovem, de 23 anos, saiu de casa já no período da noite. Em seguida, os golpistas ligaram para a sua mãe, de 53 anos, e afirmaram que a jovem havia sido sequestrada. De acordo com a família, a mulher ficou desesperada, pegou o carro e saiu, desorientada, atrás da filha – que havia sido localizada pela irmã momentos depois.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Por mando dos supostos sequestradores, a mulher ficou “escondida” em um motel da cidade. “Tínhamos informação sobre uma área da cidade, mas não era precisa. Então a equipe passou a bater em hotéis e motéis, e conseguiu resgatá-la”, explicou o delegado-adjunto da Tático Integrado de Grupos de Repressões Especial (Tigre), Cristiano Quintas.

O delegado alertou para que a população não ceda a chantagens por telefone e, que a qualquer indício de golpes dessa natureza, procure a polícia. “Esses criminosos têm ambição e aproveitam a fragilidade emocional para extorquir. Então a orientação é que não façam pagamentos em situações como essas”, disse.

Portal Guaíra com informações da Polícia Civil