ad

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) pediu que Laurindo Panucci Filho, acusado de matar o diretor do campus da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) em Cornélio Procópio, no norte do Paraná, vá a júri popular.

O pedido foi anexado ao processo que investiga a morte de Sérgio Roberto Ferreira, no dia 23 de maio.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Panucci Filho é réu no processo por homicídio triplamente qualificado. Conforme a denúncia, o ex-professor da UENP usou meio cruel, dificultou a defesa da vítima e o crime ocorreu por motivo fútil. Ele está preso em Cornélio Procópio.

Sérgio Roberto Ferreira, que tinha 60 anos, morreu depois de ser agredido dentro da instituição na noite do dia 20 de dezembro de 2018. Ferreira foi agredido várias vezes com golpes de machadinha. Panucci Filho, de 44 anos, foi preso em flagrante um dia depois, em Teodoro Sampaio (SP), e confessou o crime, de acordo com a polícia.

Em depoimento à Justiça, durante a audiência de instrução, o ex-professor da UENP disse que Sérgio Ferreira era o melhor amigo dele e que estava arrependido do crime. Contou que não planejou a morte do colega de instituição.

O pedido do MP-PR deve ser analisado pela Justiça após a defesa de Panucci Filho entregar as alegações finais sobre o caso.

Portal Guaíra com informações do G1 PR