(Foto: Larissa Ortiz/RSN)

ad

A Polícia Civil de Guarapuava investiga mortes por enforcamento dentro da cadeia pública da cidade e da Penitenciária Industrial (PIG). Desde março, quatro casos já foram registrados – o último foi no domingo (28).

De acordo com o Departamento Penitenciário (Depen), as mortes têm as mesmas características. A Polícia Civil informou que foi instaurado um inquérito para cada morte, mas uma investigação geral está sendo feita para apurar possíveis ligações entre os crimes.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Ainda de acordo com com o Depen, a PIG sofre de superlotação crônica e abriga presos de facções rivais no mesmo ambiente. A informação, no entanto, não foi confirmada pela Polícia Civil.

O local abriga mais de 400 presos e tem apenas dois agentes penitenciários trabalhando. Além disso, o departamento também informou que a penitenciária não oferece atendimento psicológico aos detentos porque o local se trata de uma “casa de passagem”, onde deveriam ficar apenas os presos que aguardam julgamento e que isso pode ser um agravante nos casos investigados.

Portal Guaíra com informações do RSN