Apesar de ter escolhido ficar em silêncio em depoimento oficial à Polícia Civil de Guarapuava, Eliara Paz Nardes, a mãe suspeita de matar os dois filhos, confessou informalmente os crimes.

No momento em que os corpos foram descobertos no apartamento da família, a Polícia Militar registrou, em boletim de ocorrência, os detalhes que a mulher contou sobre a forma de ter assassinado as crianças de 3 e 10 anos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A RICtv teve acesso ao boletim de ocorrência da Polícia Militar. Conforme o documento, Eliara disse que, no dia 13 de agosto, deu um remédio calmante para o filho de 3 anos, Joaquim Nardes Jardim, por volta das 20h. Quando ele dormia profundamente na cama dela, por volta das 22h, contou que usou um travesseiro para matar a criança asfixiada.

Ainda segundo o B.O, a mulher disse que, em seguida, foi sentar no sofá da sala e desabafou para a filha de 10 anos, Alice Nardes de Oliveira, “que não aguentava mais, que as coisas estavam difíceis, que estava complicado criar os filhos sozinha e que queria se matar”. Segundo Eliara, a filha respondeu que não poderia ficar sem ela e justificou que tinha sido estuprada por um familiar há alguns anos.

Depois da conversa com Alice, a acusada afirmou que teria ido com a filha até o banheiro e que a menina teria pedido para que a mãe cortasse seus pulsos. Ainda, relatou que cortou o pulso da menina e o seu também e que deitaram na cama ao lado de Joaquim, já morto. Por volta das 5h do dia 14, quando Alice dormia, a mãe contou que usou um cachecol para estrangular a menina e que, nos próximos dias, tentou suicídio de várias formas, até que decidiu revelar o crime ao amigo advogado.

Eliara foi presa no sábado (27), no apartamento onde morava no Centro de Guarapuava, após ligar para um amigo advogado e contar que tinha matado os dois filhos. O advogado foi quem avisou a polícia, que foi até o local e encontrou as crianças mortas.

À polícia, a mulher disse que matou o menino de 3 anos no dia 13 de agosto, e que depois assassinou a filha, de 10 anos, no dia 17 de agosto. Ela ainda relatou que pretendia cometer suicídio e justificou que estava cansada de cuidar das crianças. A informação sobre o intervalo entre as mortes ainda será confirmada através de perícia.

Após os assassinatos, a mulher teria deixado os corpos em seu quarto, em cima da cama, cobertos. Ela seguiu residindo no apartamento normalmente por cerca de 14 dias, até avisar o amigo. Quando foram encontrados, os corpos das crianças já estavam em estado de decomposição. A mãe confessou os crimes, foi presa em flagrante pelos homicídios, por ocultação de cadáver e fraude processual.

Os corpos das crianças foram velados e sepultados na segunda-feira (29), em Itajaí (SC).

Portal Guaíra com informações da RIC Mais