ad

[dropcap color=”#dd3333″]U[/dropcap]ma mulher foi presa pelas equipes da Delegacia da Mulher e do Adolescente de São José dos Pinhais por participar ativamente dos abusos contra a própria filha, de sete anos, cometidos juntamente com seu companheiro. O caso foi revelado pela Polícia Civil na tarde de quinta-feira (12).

O caso era investigado desde novembro de 2017, a partir da notificação de familiares da criança. A delegada Tathiana Guzella explicou que a menina passou a tentar relatar os abusos em desenhos e atitudes na escola. A diretora chamou várias vezes a mãe, mas ela nunca apareceu para conversar a respeito das suspeitas.

“Diante disto, foi informado para outros familiares sobre o que estava acontecendo. Duas tias da criança buscaram então a delegacia. A menina relatou os abusos pelo padrasto, mas existiam outros elementos e as versões não se completavam. A criança dizia que sempre falava para a mãe sobre o que acontecia, que a mãe não a protegia”, contou a delegada.

De acordo com Tathiana, a criança passou a morar com uma das tias e, quando isto aconteceu, revelou que a mãe participava ativamente dos atos sexuais, cometidos na cama do casal. “Não foi só a omissão, mas teve uma ação direta da própria genitora”, salientou. A mulher foi detida depois que a Justiça decretou a sua prisão preventiva.

A delegada informou que o padrasto, desde que soube das investigações, fugiu para o interior do Estado. Ele está sendo procurado, pois contra ele também há um mandado de prisão preventiva.

Tathiana Guzella afirmou que vai concluir o inquérito em 10 dias e encaminhá-lo à Justiça. Conforme a delegada, a mãe negou os fatos.

A presa tem 39 anos, enquanto o homem 35. A criança sofreu os abusos entre os cinco e os sete anos e agora passa por acompanhamento psicológico.

Portal Guaíra com informações do Massa News


CLINICA SALUTAR