ad

[dropcap color=”#dd3333″]A [/dropcap]Justiça negou, na segunda-feira (19), o pedido de soltura feito pela defesa de Cristiana Brittes, presa desde o dia 30 de outubro, suspeita de envolvimento na morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, em São José dos Pinhais. Cristiana é mulher de Edison Brittes, autor confesso do crime, registrado no dia 27 de outubro, após a festa de 18 anos da filha do casal, Allana Brittes, que também está presa.

Cristiana foi transferida, junto com a filha, para a Penitenciária Feminina de Piraquara no dia 8 de novembro, enquanto Edison foi levado para o Centro de Triagem 1, na região central de Curitiba. O Ministério Público do Paraná (MPPR) confirmou a informação de que o pedido de soltura de Cristiana foi negado. Mãe e filha são suspeitas de terem participado do crime e teriam, de acordo com as investigações, ajudado a coagir testemunhas. Ambas devem responder por homicídio qualificado.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Além da família Brittes, também estão presos Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, Igor King, David Willian Villero Silva e Eduardo Purkote, suspeitos de envolvimento na morte de Daniel.

Vídeo
Edison Brittes, autor confesso do assassinato, afirmou por meio de um vídeo, gravado nesta segunda-feira, que não sofreu agressões no Centro de Triagem 1 (CT1), em Curitiba, onde está preso. O boato de que o comerciante havia sido agredido dentro do local já havia sido desmentido por sua defesa e pela Polícia Civil.

“Quero deixar bem claro para todo mundo que está vendo esse vídeo que estou bem, não sofri nenhum tipo de ameaça ou agressão”, disse.

Portal Guaíra com informações da Rede Massa