Uma menina de 13 anos deu à luz no último fim de semana depois de passar 9 meses escondendo a gravidez da família em Araucária, na região metropolitana de Curitiba (RMC). Vítima de um estupro, a jovem tinha 12 anos quando foi violentada por um homem de aproximadamente 30 anos. Ela foi ameaçada de morte caso contasse algo para os familiares e, por isso, decidiu manter sua situação em segredo.

A adolescente usava roupas largas para esconder a barriga e conseguiu levar a gravidez toda em sigilo. No último fim de semana, a criança veio ao mundo e a menina entrou em desespero, com medo de levar bronca dos pais e ser obrigada a revelar tudo o que tinha acontecido. Por isso, depois de dar à luz em casa, no bairro Campina da Barra, ela foi até o estádio municipal que fica perto da residência e onde seu pai trabalha.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Ela contou para o pai que tinha encontrado a bebê abandonada, e o homem chamou a Guarda Municipal sem nem desconfiar que aquela era sua neta. Os guardas que atenderam à ocorrência contaram que a recém-nascida estava inconsciente e roxa, já indicando que sofria de hipotermia. Ela foi agasalhada e colocada dentro da viatura com o ar condicionado ligado, e recobrou a consciência enquanto seguia para o Hospital Municipal de Araucária.

Enquanto o Conselho Tutelar era acionado para acompanhar o caso, a jovem confessou para o pai que aquela era sua filha e revelou à família toda a história. Só depois de ficar sabendo de toda a verdade – e de superar o choque com a informação – os pais procuraram a delegacia para registrar o boletim de ocorrência contra o estuprador.

A pequena que nasceu vítima de um crime e quase foi abandonada, no fim das contas, terá uma vida feliz. A família da adolescente decidiu acolher a bebê. Nascida com 2,8 quilos, ela se chamará Heloísa e será criada pelos avós maternos.

Suspeito do crime
À época do crime sexual, o estuprador trabalhava em uma obra nas proximidades de onde a família mora, e cometeu o crime enquanto ainda trabalhava. Identificado extraoficialmente como Rodrigo Camargo da Silva, o homem deixou a cidade depois que a obra em questão e foi embora da cidade. Existe a suspeita de que ele esteja morando em Rio Branco do Sul, também na RMC, mas ele ainda não foi encontrado.

A Polícia Civil, que não confirmou a identidade do suspeito, instaurou inquérito para apurar o caso e investiga o paradeiro do autor do estupro.

Portal Guaíra com informações da Massa News