A jovem Ana Luiza da Silva Lopes, de 18 anos, que foi encontrada morta num matagal de Carambeí, nos Campos Gerais do Paraná, na tarde de sexta-feira (19), marcou encontro com um rapaz. O encontro aconteceu na noite em que ela possivelmente foi assassinada. Este rapaz é o principal suspeito de ter matado a jovem.

A informação é do delegado Jairo Camargo, da delegacia de Piraí do sul, responsável também pela investigação de crimes ocorridos em Carambeí. Ele contou que Ana Luiza saiu com este rapaz, na noite do dia 12 de agosto, e depois não foi mais vista. Apesar da informação, o delegado não revelou, por hora, a identidade do suspeito.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A jovem foi encontrada com uma marca no peito, que perfurou o seu pulmão. A polícia ainda não sabe o que causou a perfuração, se foi um tiro, uma facada, ou algum outro objeto. A definição ainda depende do laudo de necropsia, que está sendo elaborado pelo IML.

Laudos periciais também deverão apontar se Ana Luiza teve relações sexuais naquela noite, já que ela foi encontrada nua no matagal. E caso tenha ocorrido, a análise deve apontar se foi uma relação consensual ou forçada. A necropsia também deve analisar a data aproximada do óbito, se ocorreu mesmo no dia que ela desapareceu, 12 de agosto, ou se foi posterior a esta data.

Uma semana sumida

A mãe de Ana Luiza postou sobre o sumiço da filha no Facebook no domingo (14), dois dias depois que ela desapareceu. Também deu queixa à polícia do desaparecimento. Foi uma semana de espera e desepero, até que a filha fosse encontrada morta num matagal do bairro Boqueirão, mesmo bairro onde ela teria saído num bar com o suspeito.

Portal Guaíra com informações do Ric Mais