Foto: Reprodução/RPC

Um jovem, de 22 anos, foi preso e confessou ter matado uma irmã e o cunhado a facadas, na noite de quarta-feira (11), em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, segundo a Polícia Civil.

Ladymara da Cruz Gonçalves Cordeiro, de 28 anos, e Altair Barbosa Cordeiro, de 30 anos, foram encontrados mortos na casa onde moravam.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

De acordo com a polícia, o suspeito, André Gonçalves, morava “de favor” com o casal e cometeu o crime em frente à filha do casal, de oito anos, que contou ao delegado o que presenciou.

O delegado Nasser Salmen disse que o jovem se apresentou à polícia, nesta quinta-feira (12), na Delegacia de Piraquara, também na Região de Curitiba, e levou os três sobrinhos, filhos das vítimas.

Segundo informado pela polícia, na noite do crime, o jovem deu uma facada no pescoço do cunhado e, depois, uma facada no abdômen da irmã.

O G1 não identificou a defesa de André Luiz da Cruz Gonçalves.

Segundo a Polícia Militar (PM), vizinhos relataram que ouviram uma discussão no local pouco antes do crime, e que uma terceira pessoa estava na casa e saiu com os filhos do casal. Nesta quinta-feira, de acordo com a Polícia Civil, o suspeito confirmou que saiu da casa levando os sobrinhos.

Depoimento do suspeito
Conforme o delegado, o suspeito, primeiramente, deu uma versão de que havia agido em legítima defesa no caso, mas o depoimento da filha, que presenciou o crime, contradisse essa versão.

A menina contou à polícia que viu o tio matar primeiro o pai e depois a mãe, de acordo com o delegado.

A polícia informou que ainda não identificou a motivação para o duplo homicídio. André disse, segundo o delegado, que o cunhado sempre manipulava uma navalha nas mãos e que ele temia ser morto pelo marido da irmã.

Recentemente, segundo informado pela polícia, o jovem se separou da esposa, que teve um bebê, e foi morar junto com a irmã e o cunhado, em Campo Largo.

As crianças, filhas das vítimas, passaram a noite na casa da avó materna e estão sendo acompanhadas pelo Conselho Tutelar, de acordo com a polícia.

O caso será investigado pela Delegacia de Campo Largo, onde as mortes aconteceram.

Portal Guaíra com informações do G1