Um homem foi condenado à 28 anos de prisão por estupro de três irmãs em Pato Branco.

A Polícia Civil, através da Delegacia da Mulher de Pato Branco, com auxílio da Polícia Civil de Santa Catarina, prendeu um homem que estuprou três irmãs, duas com 10 anos e uma com oito, o que fez de forma reiterada entre os anos de 2014 e 2015, no Bairro Planalto na cidade.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O crime somente foi descoberto, cessando a continuidade delitiva, quando uma das vítimas, após assistir palestra sobre abuso sexual na escola, contou que o acusado passava a mão em seus órgãos genitais e a ameaçava de morte, caso contasse para alguém.

Levado ao conhecimento da Polícia Civil, foi instaurado inquérito policial para apurar os fatos. As três vítimas foram ouvidas e confirmaram os abusos, que ocorriam quando a mãe as levava para passear na casa do autor. Nestas ocasiões, enquanto a mãe das menores permanecia conversando com a esposa do autor, ele levava as crianças para um quarto, dizendo que brincariam no computador. Ali, enquanto assistia filmes pornográficos, colocava as meninas no colo e acariciava o órgão genital delas.

Na época, a polícia civil representou pela prisão preventiva do acusado e por busca e apreensão em sua residência, mas apenas esta foi deferida. Os policiais apreenderam o computador do acusado e a perícia confirmou que através dele eram realizadas buscas na internet relacionadas a pornografia infanto-juvenil, assim como o armazenamento de imagens com tal conteúdo.

Referido inquérito policial foi encaminhado para a Delegacia da Mulher, quando de sua reabertura, em maio de 2018, tendo sido concluído e encaminhado ao Ministério Público dois meses depois, estando entre os 48 procedimentos que investigavam crime de estupro de vulnerável concluídos em apenas dois meses.

Em sentença condenatória proferida em 04 de fevereiro de 2021, o acusado foi condenado a 32 ano de reclusão, mas a decisão foi reformada pelo Tribunal de Justiça, que diminuiu para 28 anos. Porém, ao tentar cumprir o mandado de prisão, o autor não foi mais localizado.

Através de diligências realizadas pela Delegacia da Mulher, foi apurado que ele estaria na Cidade de Florianópolis, sendo repassada a informação a Polícia Civil local, que o localizou e prendeu durante a tarde.

Portal Guaíra via Assessoria