ad

Centenas de caminhoneiros protestam desde a madrugada desta segunda-feira (9) em algumas rodovias do Paraná.

O grupo afirma estar insatisfeito com o governo da presidente Dilma Rousseff e reclama da alta de impostos, a elevação nos preços de combustíveis, entre várias outras questões.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O protesto ocorre em outras cidades brasileiras, segundo a categoria.

Revindicações:
A categoria apresenta uma pauta revindicada desde o mês de Março, na última greve.
1. Redução do óleo diesel;
2. Criação do frete mínimo;
3. Anulação das multas nas manifestações anteriores
4. Reserva de mercado de 40% nas categorias onde o governo é agente pagador;
5. Refinanciamento onde todos os bancos aceitem;
6. Respeito as decisões do fórum do transporte que foi criado;
7. Liberação de créditos com juros subsidiados no valor de 50.000,00 para transportadores autônomos;

Regulamentação da profissão de motorista:
1. Aposentadoria com 25 anos de contribuição;
2. Salário unificado em todo território nacional, bem como gratificações;

Leia também:
Paraná – Caminhoneiros mantêm protestos com novos pontos de bloqueios

10/11 Atualização (14h30)

Segundo o boletim do Batalhão de Polícia Rodoviária atualizado às 14h20, não há nenhum ponto de manifestação de caminhoneiros nas rodovias estaduais do Paraná.

Confira os pontos de protesto nas estradas federais do Paraná:

BR-153, km 111, Ibaiti – bloqueio parcial
BR-280, km 258, em Marmeleiro – bloqueio parcial
BR-376, km 245, Apucarana – bloqueio parcial
BR-376, km 158, Mandaguaçu – bloqueio total
BR-376, km 133, Nova Esperança – bloqueio parcial
BR-376, km 111, Paranavaí – bloqueio parcial
BR-369, km 80, Cornélio Procópio – bloqueio parcial
BR-476, km 358, União da Vitória – bloqueio parcial

Portal Guaíra com informações do G1