Reunião com o governo não sai do lugar

ad

O Fórum das Entidades Sindicais (FES) se reuniu, hoje (12), com a Secretaria de Educação e Secretaria de Administração e Previdência para ouvir do governo o anúncio de reposição salarial dos(as) servidores(as). No entanto, o governo não divulgou nada e ainda pediu mais prazo para fazer “estudos internos”.

De acordo com o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão, além de todo o desrespeito que o governo já vem demonstrando para com os(as) servidores(as), ainda convoca uma reunião para pedir ainda mais tempo. “É um desrespeito, para dizer o mínimo. Eles deveriam ter, inclusive, adiado ou cancelado essa reunião. Essa foi uma reunião que não saiu do lugar em que estávamos há uma semana. O governo só anunciou que a Secretaria da Fazenda precisa de mais tempo para analisar a receita do Estado”, explica. No entanto, a APP-Sindicato aproveitou a reunião para levar o economista Cid Cordeiro, que apresentou dados da finança do Estado. “Cordeiro assegurou que o Estado tem toda condição técnica de resolver isso o quando antes, seja pela arrecadação ou aumento da receita que o Estado teve”, aponta Hermes.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O presidente da APP-Sindicato destaca que a categoria não vai aceitar nada abaixo da reposição pela inflação pelo IPCA, que é o que a lei da data-base define e está fixado em 8,17% este ano. “Nós não temos condições de suspender a greve com este cenário. Temos duas leis que o governo não vem cumprindo: a lei do piso, com correção de 13,01%, e a lei da data-base, com reposição de 8,17% em 2015. A lei do piso já deveria estar sendo aplicada desde janeiro e a data-base que já deveria ter sido anunciada e aplicada na folha do pagamento de maio e não está. Além de tudo isso, o governo ainda pede mais esse prazo de estudos internos, é inadmissível”, declara Hermes.

De acordo com a secretária de Finanças da APP, professora Marlei Fernandes, a APP não participará mais de reuniões com o governo até que ele apresente, de fato, o índice da data-base. “O governo tem que anunciar o índice. Todo o tempo necessário já foi dado. Não tem como apresentar nada para a categoria, já que governo não apresentou nada. Nós informamos que não viremos à reunião anunciada para o dia 19 de maio e, portanto, aguardamos o anúncio do índice mínimo, que é a data-base”, explica. Marlei destaca que a luta continuará sendo feita até que o governo cumpra da lei. “O índice da data-base é o mínimo. Ninguém aqui está falando de reajuste salarial, mas de recomposição da inflação do período. Nós achamos um descaso, mais uma vez, e apresentamos isso para a secretaria e para o estado. Nós da APP-Sindicato vamos chamar a categoria e faremos mobilizações. O não retorno às aulas é culpa do governo que não atende aquilo que está na lei”.

Participaram da reunião representantes do FES, dirigentes da APP, o deputado estadual Professor Lemos, a secretária de Educação, Ana Seres Comin e a secretária de Administração e Previdência, Dinorah Botto Portugal Nogara.

Reunião com o governo não sai do lugar
Reunião com o governo não sai do lugar

Portal Guaíra com informações do App-Sindicato