Foto: Hedeson Alves

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) informou na tarde desta terça-feira (9) que o ano letivo dos alunos da rede pública estadual será concluído em fevereiro de 2016. As aulas em todas as escolas devem terminar no dia 23 de dezembro, sem férias de julho, e os professores devem tirar férias de um mês em janeiro. Porém, a maioria das escolas, que não terá concluído o calendário letivo, deverá retornar às aulas para conclusão em fevereiro. Somente depois do fim do calendário, o ano letivo de 2016 deve iniciar.

Cada escola deve fazer o próprio calendário de reposição. Foram duas greves de professores estaduais neste ano. A primeira durou 29 dias e a mais recente, 46 dias – ou 29 dias letivos. Somadas as duas greves da categoria deste ano, 49 dias letivos ficaram comprometidos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Em Guaíra, amanhã (quarta-feira, 10) as escolas/colégios estaduais retornarão apenas com expediente interno para professores e funcionários. Já na quinta-feira (11), todos os alunos estão convocados para o retorno das aulas. Os ônibus escolares também passarão nos pontos de costume normalmente.

Fim da greve

Em assembleia na Vila Capanema nesta terça-feira (09), os professores estaduais decidiram encerrar a greve da categoria, que já durava 46 dias. A decisão foi tomada por 70% dos 12 mil professores que participaram da assembleia, de acordo com a APP Sindicato.

As aulas, segundo Hermes Leão, presidente da APP-Sindicato, podem retornar nesta quarta-feira. Aprovada pelos professores, a nova proposta de reajuste salarial, elaborada pelos deputados e que recebeu o aval do Governo do Paraná vai, agora, tramitar na Assembleia Legislativa.

De acordo com o novo projeto, o governo propõe pagar, em uma única parcela, em outubro deste ano, 3,45%, referente a reposição da inflação dos meses de maio a dezembro de 2014.

Em primeiro de janeiro de 2016 haveria a reposição inflacionária referente aos 12 meses de 2015. O índice estimado é de 8,5%. O mesmo aconteceria no primeiro mês de 2017.

Os servidores pediram também a suspensão das punições impostas aos trabalhadores. A Secretaria de Estado da Educação sinalizou na última sexta-feira que pode voltar atrás nos descontos dos dias de paralisação na Rede Estadual de Ensino.

De acordo com o governo do estado, os quatro dias de faltas referentes ao mês de abril já foram lançados na folha de pagamento dos professores. A APP está pedindo folha complementar para devolver o desconto.

O posicionamento da Seed é de que não serão abertos processos administrativos contra diretores de escolas, desde que eles entreguem os relatórios de faltas dos professores dos meses de abril, maio e junho.

O Governo também se compromete a não fazer rescisões para contratos de professores temporários.

Foto: Hedeson Alves
Foto: Hedeson Alves
Portal Guaíra com informações do Paraná Portal