As aulas presenciais na rede estadual de educação do Paraná só devem ser retomadas por volta do mês de maio, após a vacinação de professores, segundo o governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD).

A afirmação foi dita por Ratinho Junior, nesta terça-feira (30), em entrevista à rádio Jovem Pan, de Curitiba. O governador afirmou que pretende imunizar contra a Covid-19 os profissionais da educação e policiais, após concluir a vacinação dos idosos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Assim que a gente fechar o ciclo dos 60 anos, e eu acredito que até meados de abril a gente vai vacinar todos os de 60 anos, vamos começar os nossos policiais e professores. Isso vai ajudar a gente a, até meados de maio, estar voltando, se Deus quiser, para a sala de aula”, disse.

Na sexta-feira (26), o governador já havia dito que o Paraná irá priorizar os profissionais da educação e da segurança pública depois da imunização de idosos com 60 anos ou mais. “A ideia é desovar a vacinação, e fazer com que o máximo de pessoas possam ser vacinadas o mais rápido possível”, disse.

Ainda nesta terça, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) reforçou que planeja antecipar a vacinação de professores e profissionais da segurança pública e a inclusão deles no calendário junto ao grupo de pessoas de 18 a 59 anos com comorbidades.

De acordo com a secretaria, “a vacinação destes grupos será feita de maneira simultânea, com previsão de aplicação das doses no mês de maio, de acordo com a programação de entrega de vacinas pelo Ministério da Saúde. As aulas nas escolas estaduais retornarão em paralelo à imunização dos professores”.

Na segunda-feira (29), o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), também afirmou que as aulas presenciais da rede municipal só serão retomadas depois que todos os professores forem vacinados.

Conforme o plano municipal de imunização da capital, os professores fazem parte do grupo quatro para receber o imunizante, na categoria de trabalhadores essenciais.

Ainda na entrevista desta terça-feira, Ratinho Junior afirmou que “se a gente conseguir vacinar antes, ótimo, a gente volta antes. Mas eu estou dando esse prazo aí do mês de abril, que a gente vai ter esse tempo para poder vacinar”.

Suspensão das aulas presenciais
A rede estadual de ensino está com aulas presenciais suspensas desde as primeiras medidas de restrição diante da pandemia do novo coronavírus no Paraná. O retorno dos alunos à sala de aula chegou a ser adiado quatro vezes.

Para este ano, a Secretaria de Educação e do Esporte do Paraná (Seed) anunciou que as aulas seriam retomadas presencialmente, com o início do modelo híbrido, em que parte dos alunos acompanham as aulas em sala de aula e a outra parte, em casa.

No entanto, com o agravamento da pandemia, todos os alunos da rede estadual retornaram para as aulas remotas.

“Nós queremos fazer o retorno às aulas. O ambiente escolar é muito importante, do convívio do aluno, do professor. Mas, nós também não podemos fazer isso sem ter a segurança, em especial para os nossos professores, que são um grupo de risco, vamos dizer assim, que ele volte para a sala de uma maneira que possa colocar ele em risco”, disse o governador.

Nas escolas particulares, houve a retomada das atividades em sala, com o novo ano letivo em fevereiro. Depois, as aulas presenciais foram suspensas pelo decreto que estipulou medidas mais restritivas no estado. Com o fim do decreto, as escolas particulares foram autorizadas a retomar o modelo híbrido em 10 de março.

Neste caso e em relação às redes municipais, as prefeituras têm autonomia para liberar ou não o modelo presencial.

Portal Guaíra com informações do G1