Um grupo de caça-fantasmas chamado “Legionários” foi até a o município de Campo Magro, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), para desvendar um suposto caso de espírito.

Reza a lenda que um padre vivia em uma casa da região, engravidou uma mulher e tirou a própria vida em uma árvore ao lado do imóvel. A equipe do Balanço Geral Curitiba foi até o local para ver de perto como os “Legionários” atuam.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O grupo é composto por quatro pessoas: o pai Antônio Carlos Domingas e seus três filhos. Eles trabalham com dispositivos que podem detectar a presença de espíritos. Na residência do padre, foi detectada uma presença sobrenatural e duas pessoas chegaram a passar mal na ocasião.

“Na hora que eu estava lá e foi pedido para fazer contato com o espírito, subiu um negócio ruim, uma azia forte, só deu tempo de entregar a câmera que eu estava usando e comecei a passar mal e um calafrio muito grande, tremedeira”,relatou Sabrina Tatiane, que estava atuando junto ao grupo.

O fotógrafo da equipe, Ramon Chagas, também sentiu a presença. “Eu senti um peso, como se fosse a pressão caindo e comecei a lagrimejar”.

Caça-fantasmas “Legionários”

Os integrantes do grupo viveram 14 anos em uma casa considerada mal assombrada. “Quem passava lá via pessoas, crianças na balança, nós escutamos muitos ruídos, gemidos e às vezes até falas”, disse Antônio Carlos Domingas.

Através de um canal do youtube eles recebem dicas de lendas urbanas. “Geralmente quando alguém indica é porque já teve algo de sobrenatural”.

Portal Guaíra com informações da RIC Mais