ad

[dropcap color=”#dd9933″]U[/dropcap]ma equipe de 70 extensionistas está finalizando a preparação da área do Instituto Emater no Show Rural Coopavel 2019, que acontece de 4 a 8 de fevereiro, em Cascavel. O visitante poderá conhecer diversas ações desenvolvidas pela Extensão Rural junto ao produtor familiar. As sugestões para as propriedades são inúmeras, desde o cultivo de olerícolas até a agroindústria e o turismo rural.

O Instituto Emater ocupa uma área de 30 mil metros quadrados, além de ser responsável pelo paisagismo de todo o parque de eventos com o plantio de 350 mil mudas de flores.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Atrações
Neste ano haverá a tradicional Feira da agroindústria familiar com a participação de nove associações de produtores e cooperativas, além de empreendimentos familiares de 18 municípios do Paraná que recebem orientação do Instituto Emater. O visitante encontrará queijos, embutidos, doces, geleias, conservas, molhos, derivados de cana-de-açúcar, cafés premiados, pães e outros produtos coloniais.

Outra atração é o Barracão do Artesanato, com a parceria das prefeituras municipais e associações de artesãos. Serão apresentados produtos em tecido, madeira, palha e fios confeccionados pelas mulheres e artesãos de 26 municípios paranaenses.

Uma novidade deste ano é a Casa Econômica Sustentável. De acordo com a extensionista Jussara Walkowicz, a intenção é mostrar aos produtores como o lixo reciclável presente no meio rural pode ser reaproveitado. Garrafas pet e caixas de madeira se transformam em móveis e hortas suspensas.

“Até mesmo as caixas de leite podem ser transformadas em telhado térmico. Os visitantes também vão aprender a fabricar sabonete, sabão e amaciantes de roupa, gerando economia em sua residência” disse Jussara.

Na área de alimentação o inhame será o destaque. No estande Cozinha da Roça os extensionistas resgatam o uso deste tubérculo no preparo de pratos como maionese e sorvete.

Outro espaço foi reservado para o uso de plantas medicinais. Trata-se do Cantinho Saúde Melhor, que mostra como produzir plantas medicinais, temperos e verduras em pequenos espaços. O cultivo da “moringa”, utilizada como suplemento alimentar, e da Ora pro nobis, rica fonte de proteína, são as novidades.

Cultivo
Para quem se interessa pela olericultura, os técnicos do Instituto Emater vão apresentar coleções de tomates, pimentões e pimentas, a tecnologia de produção em ambiente protegido, enxertia em tomates, produção semihidropônica de alface e morango.

O visitante também poderá se informar sobre o cultivo e manejo de diversas frutíferas como caqui, figo, banana e goiaba. Técnicos no local orientarão sobre o planejamento de um pomar caseiro, a produção de mudas de qualidade e o uso da calda sulfocálcica para combater insetos, fungos e ácaros.

Como a produção de grãos é a mais significativa para o Estado, a Emater levará os resultados do trabalho realizado pelo Instituto e seus parceiros no monitoramento da ferrugem asiática da soja, bem como o monitoramento de pragas e a redução do uso dos defensivos agrícolas.

No manejo da fertilidade do solo, os técnicos vão demonstrar as necessidades nutricionais para os principais grãos e formas para atender essa demanda, melhorando a estrutura física e química do solo, sem elevar os custos de produção.

A regulagem adequada do pulverizador e ações para evitar a deriva durante a pulverização de defensivos são outros temas presentes na área de grandes lavouras. Para chamar a atenção dos agricultores sobre a importância da rotação de culturas e do manejo adequado da palhada para cobertura do solo, será instalado um infiltrômetro, aparelho que mede a capacidade de infiltração de água no solo.

Outras fontes de renda
A bovinocultura é uma importante fonte de renda para os proprietários rurais. Por isso, não poderia ficar de fora das ações do Instituto Emater. Produzir mais e reduzir os custos é o desafio que se impõe ao produtor de leite, e a Extensão Rural vai levar algumas sugestões como a fabricação de ração caseira e as melhores forrageiras para os animais. Além disso, extensionistas estarão à disposição para discutir as vantagens do sistema de integração lavoura-pecuária.

Durante o show rural serão demonstradas todas as fases da criação de tilápias, da construção de tanques ao tratamento da água, e uso de equipamentos como os aeradores. Ainda haverá um espaço dedicado a tecnologias para a produção de mel e derivados e opções de plantas floríferas para servir de pastagem para as abelhas.

Como a formiga saúva é uma importante praga da região Oeste, e em diversas localidades do Paraná, os extensionistas montaram um estande que explica como se dá a formação e a multiplicação dos formigueiros nas áreas rural e urbana. O visitante saberá quais são as principais espécies de formigas, os prejuízos que elas causam e as estratégias de controle.

Turismo
Atualmente, o turismo é uma boa opção de renda de muitas propriedades rurais. Cabe ao agricultor explorar o potencial do seu sítio ou chácara e instalar benfeitorias que possam atrair os turistas. A Emater dará algumas sugestões de estruturas que podem incentivar o lazer no meio rural, além das formas de valorizar a gastronomia e a cultura regional. O visitante conhecerá também alguns circuitos da região e do Estado onde o turismo já é uma atividade estabelecida

Agroecologia
A valorização da produção agrícola livre de agrotóxicos levou os técnicos do Instituto Emater a criar a área de Agroecologia. São 2,6 mil metros quadrados que representam uma propriedade agrícola, conduzida segundo os princípios e as práticas agroecológicas. O espaço inclui a produção de grãos, frutas, hortaliças, plantas medicinais, sistema agroflorestal e silvipastoril, além de bioconstruções, como a estufa de bambu, barracas para feiras e a cisterna de ferrocimento.

O objetivo dessa área é difundir as tecnologias e os princípios agroecológicos que possam reduzir os custos de produção, aumentar a rentabilidade e reduzir os impactos ambientais da agropecuária. Serão apresentadas diversas espécies de PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais), flores tropicais, canteiros suspensos e criação de caprinos.

Para enfrentar os desafios de manter os recursos naturais, o projeto Valorização Ambiental resgatará antigas práticas de controle da erosão, problema que tem se agravado em diversas regiões do Paraná.

Portal Guaíra com informações da AEN