(Foto: Plantão Maringá)

Os objetos deixados no túmulo de um adolescente de 16 anos que foi executado a tiros na noite de quinta-feira (1°) foram roubados na madrugada de domingo (04) no Cemitério Municipal de Sarandi.

A Polícia Militar foi acionada, mas ninguém foi preso. Um funcionário, que preferiu não se identificar, contou que no dia do enterro familiares e amigos colocaram alguns pertences, como correntes, bonés e pipas sobre o caixão, e que esses objetos foram furtados. Ainda de acordo com a PM, apenas o túmulo do adolescente foi violado.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O CRIME
Um adolescente foi assassinado com sete tiros no final da noite desta quinta-feira (1°) no Conjunto Habitacional Governador José Richa, em Sarandi.

O crime foi registrado por volta das 23h40 na Rua Governador Bento Munhoz da Rocha Neto.

De acordo com os relatos iniciais sobre o crime, dois homens em uma moto parou de frente a casa e chamaram o adolescente. Quando a vítima saiu para atender foi surpreendido pelos disparos. Antes de fugir, os atiradores arrombaram a porta da casa e arrastaram a namorada da vítima para fora do imóvel. Tudo indica que eles pegaram algo na casa e antes de fugir os atiradores dispararam tiros diversas para cima em forma de comemoração.

O pai da vítima, que estava na casa de amigos, ao ficar sabendo do ocorrido, correu até a casa e em um momento de desespero colocou o filho já morto no carro, e o levou para o UPA, na intenção de salvá-lo.

Equipes da Polícia Militar, Guarda Municipal passaram a realizar rondas, e durante as buscas conduziram três suspeitos para a Delegacia de Polícia Civil. Dois destes suspeitos foram presos após uma intensa perseguição. A motivação do crime ainda não foi esclarecida, mas tudo indica que seja relacionada ao tráfico de drogas. A equipe da Guarda Municipal localizou ainda uma quantidade de drogas nas imediações do local do crime. Um dos detidos é um adolescente, ele foi reconhecido por testemunhas como um dos autores do crime.

Dois investigadores estiveram na cena do crime para realizar os primeiros levantamentos acerca do homicídio.

Portal Guaíra com informações do Plantão Maringá