apreensoes-prf-parana

Considerado um dos meios de transporte mais baratos, os ônibus deixaram de ser usados apenas para ir e vir de uma cidade a outra. Ao longo dos anos eles se tornaram os preferidos dos traficantes de drogas, armas, munições, cigarros entre outros produtos contrabandeados do Paraguai.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A rota, em sua maioria, parte de Foz do Iguaçu com destino a São Paulo e Rio de Janeiro. Os coletivos são usados para tentar despistar a fiscalização da PRF (Polícia Rodoviária Federal) que fica atenta a qualquer sinal de irregularidade.

A PRF não possui um cadastro específico com as apreensões realizadas dentro de coletivos, mas trabalha com uma estimativa do que é retirado de circulação.

Segundo o inspetor de tráfego e responsável pelo setor de comunicação da PRF no Estado, Cristiano Mendonça, 70% das apreensões registradas nas rodovias do Paraná envolvem ônibus. “É a forma mais fácil de se transportar, porém a quantidade é bastante limitada”.

Segundo ele, a quantidade de droga retirada de circulação nas rodovias, transportadas em ônibus, corresponde a 25% de todas as apreensões. “Se levarmos em conta que só este ano até setembro já foram 41 toneladas de maconha, são mais de dez toneladas”. Em comparação com 2013, houve um aumento significativo, de quase duas toneladas. “Em 2013 retiramos de circulação 33,5 toneladas do entorpecente”.

Em relação a cocaína, a PRF apreendeu mais de 250% nos nove primeiros meses de 2014 em comparação com 2013. “No ano passado foram 252 quilos e esse ano já são 634. Desse total, mais de 158 quilos estavam em ônibus de linha”.

No Oeste do Paraná

As fiscalizações rotineiras em todos os postos das rodovias são fundamentais para os bons índices de apreensões, segundo o inspetor de tráfego da Delegacia da Polícia Rodoviária Federal, Alysson Vidor. “Pelo efetivo que a PRF possui, é praticamente impossível fiscalizar todos os veículos que passam pelos postos. No caso dos ônibus, quando há maior contingente, todos são revistados”. Segundo ele, quando estão em menor quantidade, a fiscalização é feita por amostragem. “Fazemos algumas entrevistas, conversamos com os passageiros e, quando eles têm algo de errado, geralmente ficam mais nervosos”.

Guaíra

Conforme o responsável pela Delegacia da PRF de Guaíra, Higor Braga, o maior número de apreensões na região é em ônibus. “Em geral a quantidade transportada é bem menor, mas no caso de drogas, elas representam 70% do total de ocorrências”. Segundo ele, em relação ao quantitativo, o que circula nos ônibus corresponde a 25% das drogas em Guaíra.

Foz do Iguaçu

O aumento no número de apreensões pode ser percebido conforme os dados da PRF de Foz do Iguaçu. Segundo o inspetor Raone Nogueira, nos nove primeiros meses de 2013 foram apreendidos em ônibus de linha mais de 304 quilos de maconha, em 31 ocorrências. “Além disso tivemos outras seis de crack, com 5,5 quilos; duas de cocaína, com 6 quilos, e uma de lança perfume, onde foram apreendidos 153 frascos do produto”.

Já no mesmo período de 2014, o total de apreensões de maconha foi de 29, 535 quilos; nove de crack, com 27 quilos; cinco de cocaína, com 1,5 quilo; uma de haxixe, com seis quilos, e uma ocorrência com mil comprimidos de ecstasy. “O que acontece, na maioria dos casos, é que no ônibus eles não podem transportar grandes volumes, como acontecem nos carros e caminhões, que podem circular com toneladas de drogas”.

Apreensões no Paraná

2014

  • Maconha – 41 toneladas
  • Cocaína – 634,4 quilos
  • Crack – 391,6 quilos
  • Armas de fogo – 117
  • Munições – 8.820
  • Eletrônicos – 23.396

2013

  • Maconha – 33,5 toneladas
  • Cocaína – 252 quilos
  • Crack – 457,1 quilos
  • Armas de fogo – 113
  • Munições – 5.204
  • Eletrônicos – 73.033

* Dados referentes aos meses de janeiro a setembro

apreensoes-prf-parana-2

Fonte: O Paraná