Segundo a Araupel, mais de 1,2 milhão de mudas de pinos para reflorestamento foram destruídas durante a ação do MST em março deste ano (Foto: Araupel / Divulgação)
ad

Um confronto entre integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) e Policiais Militares Ambientais em um acampamento em Quedas do Iguaçu, no sudoeste do Paraná, deixou ao menos duas pessoas mortas. De acordo com a Polícia Militar (PM), seis pessoas ficaram feridas, mas o MST afirma que 22 integrantes do movimento foram atingidos por disparos de arma de fogo. O confronto ocorreu nesta quinta-feira (7).

O acampamento fica localizado na área da Araupel. Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), a Ambiental estava com uma equipe da Ronda Tática Motorizada (Rotam) em uma área chamada Fazendinha verificando um foco de incêndio. Ao deslocar para o local, os policiais foram interceptados por mais de 20 integrantes do MST que reagiram a abordagem com disparos de arma de fogo, ainda conforme a Sesp.

A Araupel é uma empresa de reflorestamento e beneficiamento de produtos de madeira que está estabelecida na região há 43 anos. Segundo a própria empresa, desde o início das invasões em Quedas do Iguaçu, a fábrica já perdeu dois terços de terras devido a questões agrárias.

Também segundo a PM, uma espingarda e uma pistola foram apreendidas com os sem-terra. Ainda não há informações de policiais feridos.

De acordo com Movimento dos Sem-Terra, o confronto ocorreu próximo ao acampamento Dom Thomas Balduino. O movimento afirma que a polícia não foi até o local para conter um incêndio, mas diz que foi uma emboscada.

A PM enviou equipes para o local para resgatar as vítimas e um helicóptero para remover os feridos. Além disso, policiais militares e civis foram para a região com o objetivo de reforçar a segurança, já que há uma briga judicial envolvendo o MST e a empresa Araupel.

A Polícia Civil já abriu um inquérito para apurar os fatos.

Portal Guaíra com informações do G1