A cobrança de pedágio para caminhões com eixos suspensos surpreendeu caminhoneiros no Paraná na terça-feira (8). A decisão do Conselho Diretor da Agência Reguladora do Paraná (Agepar), do governo do estado, decidiu pela revogação da Resolução n.º 002/2015, que isentou o pagamento dos eixos suspensos de caminhões vazios. A medida, publicada na edição do Diário Oficial de sexta-feira (4), passou a valer a partir da zero hora de terça-feira, pós-feriado, dia 8.

O argumento do governo do Paraná, em nota da Agepar divulgada na segunda-feira (7) de feriado, é de que a permanência da isenção do pagamento dos eixos suspensos “acarretará em expressivos aumentos nas tarifas de pedágio do Anel de Integração, para todas as categorias de veículos”.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Em São Paulo, desde abril caminhoneiros têm que pagar pedágio em rodovias paulistas mesmo com isenção em vigor para quem transitar com eixo suspenso.

A Lei dos Caminhoneiros foi sancionada em 2 de março pela presidenta Dilma Rousseff garantindo a isenção do pagamento de pedágio sobre o eixo suspenso de caminhões que circulam vazios, o aumento da tolerância máxima na pesagem de veículos de transporte de cargas e passageiros e a conversão das penas de multa por excesso de peso em penas de advertência.

A sanção da Lei dos Caminhoneiros fez parte do acordo apresentado pelo governo federal para que os profissionais desbloqueassem as estradas em uma série de protestos desencadeados em várias rodovias. A legislação determina o pedágio gratuito por eixo suspenso para caminhões que não estiverem carregados, além do perdão das multas por excesso de peso dos caminhões, recebidas nos últimos dois anos. Com a nova medida, os donos da carga (contratantes do frete) serão responsabilizados pelo excesso de peso e transbordamento de carga. Também está prevista a ampliação dos pontos de parada para caminhoneiros.

PEDAGIO EIXO SUSPENSO PARANA

Portal Guaíra com informações Paraná Portal