Foto: Maringá na Hora

O carpinteiro Francisco Borges Leal de 58 anos, acusado de assassinar a tiros o comerciante Edson Takeo Watanabe, de 54 anos, na frente do filho da vítima e de outras testemunhas, durante um jogo de baralho, em Maringá, no último domingo (3), disse à polícia que não se atirou para machucar.

Leal confessou o crime, mas disse que não se lembra de quantas vezes atirou e nem do motivo que levou à confusão. Ele disse aos policiais que não tinha a intenção de machucar o comerciante.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O crime aconteceu no interior do estabelecimento comercial da vítima, que fica situado na Avenida Brasil entre a Vila Operária e a zona 08. Vítima e atirador tiveram um desentendimento durante uma partida de baralho, quando o atirador sacou o revólver que carregava na cintura e atirou várias vezes contra a vítima. Um dos tiros acertou a cabeça do comerciante.

Depois de atirar em Watanabe, Leal apontou o revólver para o filho da vítima, que presenciou tudo, e o obrigou a abrir a porta do bar, por onde o assassino fugiu.

Na sequência, o rapaz pediu ajuda em um quiosque de lanches próximo ao bar. O comerciante foi socorrido, mas morreu logo depois de dar entrada no hospital.

Minutos após a fuga, Leal foi localizado e preso em flagrante por policiais militares do Pelotão de Choque, a três quadras do local onde o crime aconteceu. A Polícia Civil investiga o crime.

Portal Guaíra com informações do Maringá na Hora