Foto: Viviani Costa/Grupo Folha

Terezinha de Jesus, avó da garotinha Eduarda Shigematsu, sabia que a neta estava morta quando registrou o boletim de ocorrência de desaparecimento. É nisso que a Polícia Civil (PC) acredita depois de ouvir o depoimento do pai da menina, Ricardo Seidi.

Terezinha foi presa na terça-feira (30) em casa. A ação tem caráter preventivo e vale por 30 dias. Em coletiva de imprensa o delegado Bruno Rocha, responsável pelo caso destacou que a avó dissimilou a morte da criança. “O ponto principal foi que ele informou que ela já sabia. No mesmo dia do desaparecimento, ele informou a ela o que tinha acontecido. Ainda assim, no dia seguinte, a avó registrou o desaparecimento da Eduarda”, disse.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Seidi confessou ter enterrado o cadáver da filha depois de ter dito que encontrou Eduarda já sem vida.

A avó foi levada para o 3º Distrito Policial em Londrina.

Portal Guaíra com informações do Bonde