Um réu foi condenado a 21 anos, 4 meses e 22 dias de prisão em regime fechado após Júri Popular realizado nesta semana, em Paranaguá, no litoral do estado.

O homem foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) e era investigado em operações da Polícia Civil do Paraná (PCPR) desde 2018. Segundo a investigação, o indivíduo faz parte de um “Tribunal do Crime”, onde integrantes determinavam penas e até sentenças de morte.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Segundo a Folha do Litoral, as investigações contra o réu tiveram início após uma série de homicídios em Paranaguá. A denúncia do MP-PR revela que o sentenciado e outros integrantes deste “Tribunal do Crime” torturaram e mantiveram uma vítima em cativeiro durante dois dias, em novembro de 2018. Pouco depois, o corpo da vítima foi encontrado decapitado no Rio Emboguaçu, no Porto dos Padres.

Em setembro do mesmo ano, um outro homem foi encontrado decapitado no Rio Emboguaçu. A vítima tinha ferimentos causados por arma branca.

No Júri Popular, que foi finalizado na madrugada desta terça-feira (23), o réu foi condenado a 22 anos de prisão em regime fechado. Um outro envolvido foi condenado a 10 anos de prisão em regime semiaberto. A expectativa é que outros sete acusados sejam julgados.

Portal Guaíra com informações da RIC Mais