logo-fronteras-unidas

De acordo com uma fonte da Câmara de Comércio de Pedro Juan Caballero , está agendada para terça-feira (17) uma reunião dos titulares das Câmaras de Comércio de Ciudad Del Este, Salto Del Guairá e Pedro Juan com o Presidente Horacio Cartes.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O tema do encontro é a situação crítica do comércio nas fronteiras com o Brasil, e a decisão do governo brasileiro de reduzir a cota das compras de seus cidadãos no exterior de U$ 300 para U$ 150 dólares.

Os comerciantes destas três cidades estão preocupados com a medida brasileira que, caso se concretize, seria o golpe fatal para o comércio fronteiriço, e resultaria na perda de milhares de postos de trabalho nas três cidades fronteiriças.

De acordo com os comerciantes, a crise se originou nos últimos meses de 2014 e piorou no primeiro trimestre deste ano. A presença de compristas brasileiros diminuiu em 85%, de modo que os empresários também tiveram que diminuir as compras de novos produtos.

Atualmente, a desvalorização da moeda brasileira em relação ao dólar dos Estados Unidos fez com que os brasileiros praticamente desaparecessem das cidades de fronteira do Paraguai com o Brasil. E esta situação tende a piorar, porque o “real” continua caindo em relação ao dólar norte-americano.

Uma das conseqüências imediatas da desvalorização é que os brasileiros deixaram de viajar ao exterior para fazer compras ou férias. Na terça-feira, um avião com destino a Nova Iorque partiu do aeroporto de San Pablo, com apenas dez passageiros.

Lojas Francas

Para piorar a desvalorização do real, que impede a chegada de compradores no Paraguai, os comerciantes estão preocupados que o governo brasileiro, após a diminuição da cota de 300 para 150 dólares em julho, também permita a instalação de “Lojas Francas” em todas as cidades brasileiras que fazem fronteira com outros países. “Isso seria o fim dos negócios em nossas cidades de fronteira”, disse um comerciante à reportagem do ABC Color.

Segundo relatos, com a instalação destes “Free Shop”, o governo brasileiro estaria autorizando a cota de U$ 500 para os turistas fazerem suas compras. Os presidentes das três Câmaras de Comércio, estarão explanando, na reunião de amanhã com o Presidente Cartes, a difícil situação que atravessa o comércio, que é o pulmão destas cidades fronteiriças.

Os representantes dos comerciantes esperam que o Presidente possa interceder junto a Presidenta Dilma Rousseff, afim de que não se aplique a redução da cota, e suspenda a implementação dos “Free Shop”.

Salto del Guairá

Com o dólar sendo cotado a R$ 3,35 na manhã desta segunda-feira (16), a cidade vizinha a Guaíra está praticamente vazia (veja nas fotos). São mais de 1.000 guairenses que trabalham no Salto, e correm o risco de perderem seus empregos.

Uma caminhada foi marcada para as 09h da manhã de terça-feira (17), com saída da Praça da Amizade. Já às 10h, no mesmo local, haverá um ato de mobilização.

SALTO-DEL-GUAIRA-FAZ-PROTESTO-NESTA-TERCA-FEIRA-17-DE-MARCO

SALTO-DEL-GUAIRA-FAZ-PROTESTO-NESTA-TERCA-FEIRA-17-DE-MARCO-2

SALTO-DEL-GUAIRA-FAZ-PROTESTO-NESTA-TERCA-FEIRA-17-DE-MARCO-3

SALTO-DEL-GUAIRA-FAZ-PROTESTO-NESTA-TERCA-FEIRA-17-DE-MARCO-4

logo-evento-fronteras-unidas

Portal Guaíra com informações do ABC Color
Tradução: Portal Guaíra