ad

O pai do adolescente Arlan Fick, 16 anos, o brasileiro Alcido Fick, informou na terça-feira (20) à imprensa paraguaia, que pagou o valor de 500 mil dólares ao grupo terrorista Exército do Povo Paraguaio (EPP), para que o filho fosse libertado. O produtor disse que enviou o dinheiro no dia 10 de maio, sem que uma prova de vida do filho fosse apresentada.

Alcido Fick, disse que o dinheiro foi exigido pelos sequestradores na mesma noite em que o adolescente foi pego. Além disso, mais 50 mil dólares em alimentos já haviam sido enviados como cumprimento de outro pedido do EPP.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Por favor, liberem meu filho Arlan como prometeram. Somos gente trabalhadora, não temos problemas com ninguém, se vocês têm problemas com o governo. Eu estou muito doente e minha senhora está muito fraca. Por favor senhores, já é suficiente”, disse o brasiguaio.

O garoto foi sequestrado no dia 2 de abril na Colônia Paso Tuyá, na cidade de Concepción, a 550 quilômetros de Cidade do Leste, durante um tiroteio entre integrantes do EPP e policiais. Arlan foi pego de refém durante a troca de tiros, que deixou dois terroristas e um agente das Forças Armadas do Paraguai mortos.

arlan-finck-sequestrado-pelo-EPP-no-paraguai

Portal Guaíra com informações da Rádio Cultura Foz