A Polícia Civil de Santa Catarina prendeu de forma preventiva o dono de um açougue acusado de vender carne de cavalo como se fosse bovina. O estabelecimento, que fica no município de Tubarão, também foi interditado após exames de perícia constatarem que a carne vendida era misturada com a de cavalo e a de búfalo. Os proprietários do estabelecimento responderão por receptação qualificada e crimes contra as relações de consumo, podendo ser condenados a uma pena de até 18 anos de prisão.

A ação faz parte da Operação “Horse” da Delegacia de Delitos de Trânsito e Divisão de Crimes Ambientais (DTCA), que teve o apoio da Divisão de Combate a Furtos e Roubos (DCFR).

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Segundo informações da polícia, as investigações começaram há seis meses, quando as autoridades prenderam dois homens acusados de abaterem cavalos de forma clandestina na cidade de Imaruí. Os suspeitos confirmaram à polícia que a carne estava sendo comercializada com o açougue de Tubarão.

Ainda no local, os policiais constataram condições sanitárias irregulares, como armazenamento de carnes estragadas com outras a serem comercializadas, peças de carne inteira e moída sem qualquer identificação de procedência, além de precária higiene no estabelecimento.

Portal Guaíra com informações do Canal Rural