ad

Depois de passar uma semana acompanhando a avó no pronto socorro do Hospital Universitário (HU) de Londrina, no norte do Paraná, sem nem ter uma cadeira confortável para ficar, a voluntária Alessandra Balestra decidiu agir. Mobilizou um grupo de pessoas, arrecadou quase R$ 6 mil e conseguiu comprar 14 poltronas.

“Naquele momento eu fiquei em pé, 12 horas aguardando o atendimento da minha avó na emergência. A minha avó faleceu alguns dias depois, mas o desejo de ajudar não parou ali, foi mais forte ainda”, contou a voluntária.
As poltronas novinhas vão atender as alas do setor adulto do pronto socorro. A ala masculina tem 16 leitos e a feminina tem dez, o que totaliza 26 leitos. Com mais leitos do que poltronas doadas, alguns acompanhantes vão continuar esperando em cadeiras simples.

A administração do hospital agradeceu a solidariedade, mas reconheceu as dificuldades na estrutura.

“Infelizmente, a condição de estrutura física não nos permite um espaço de acordo com aquele que gostaríamos de fornecer para todos. Temos uma demanda de 120% além da nossa capacidade”, explica a superintendente do HU, Vivian Feijó.

Mesmo assim, a doação já alivia a realidade da unidade. Até os pacientes sabem da importância do acompanhante estar confortável em um período de preocupação.

“Quando vi a pessoa passar uma noite inteira em pé, arrumaram um banquinho de madeira para ela e ela ficar se retorcendo de dor, isso é deprimente. Ao ver que o acompanhante está confortável, também ficamos mais confortáveis”, diz o paciente Paulo Poi.

Portal Guaíra com informações do G1 Norte


ad