Jovem beija mão do Papa durante encontro no Theatro Municipal do Rio de Janeiro em 2013 — Foto: Stefano Rellandini/Reuters
ad

O Papa Francisco, que retirou a mão dos fiéis que estavam tentando beijar seu anel na segunda-feira (25), fez isso por uma questão de higiene e para evitar a disseminação de germes entre os fiéis, explicou o Vaticano.

“O papa me disse que a razão pela qual ele não permitiu que beijassem o anel em Loreto era a higiene, para evitar a disseminação de germes entre as pessoas que faziam fila”, afirmou Alessandro Gisotti, diretor do gabinete de imprensa do Vaticano, nesta quinta-feira (28).

As imagens do papa no santuário de Loreto, no norte da Itália, e sua reação quase abrupta ao beijo em seu anel viralizaram nas redes sociais e geraram muitas interpretações entre os católicos.

O vídeo com as imagens tornou-se um grande sucesso nas redes sociais. Por isso, o Vaticano decidiu esclarecer o assunto.

“Ele me disse que gosta de abraçar e ser abraçado e estar perto das pessoas, mas temia que todos ficassem doentes”, explicou Gisotti aos repórteres.

O papa argentino, de fato, gosta de contato direto com os fiéis, aperta centenas de mãos a cada semana, deixa-se abraçar, tirar selfies, aceita beber mate e geralmente conversa com as pessoas.

O anel em questão não é o “anel de ouro dos pescadores” que os pontífices normalmente carregam como um símbolo do poder papal, mas o anel que ele recebeu durante sua ordenação episcopal em 1992 em Buenos Aires, segundo o jornal católico “La Croix”.

Portal Guaíra com informações do G1


ad