Uma mulher da Arábia Saudita foi condenada a 34 anos de prisão por ter um perfil no Twitter e seguir ativistas pró-democracia. Ela estava voltando de férias da Universidade de Leeds, no Reino Unido, quando foi acusada.

A estudante Salma al-Shehab havia sido condenada, inicialmente, a três anos de prisão, mas um tribunal de apelações aumentou a sentença na última segunda-feira (15). A mulher é acusada de causar ‘agitação pública e desestabilizar a segurança civil e nacional’. Ela está, ainda, proibida de viajar por 34 anos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O caso remete à campanha de repressão do príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, que atacou usuários do Twitter, mesmo tendo uma grande participação indireta na empresa a partir do Fundo de Investimento Público do país. 

Salma al-Shehab não é uma líder ativista e tem poucos seguidores em suas redes sociais. Ela chegou a republicar posts de dissidentes que pedem a liberdade de presos políticos na Arábia Saudita e também apoiava Loujain al-Hathloul, líder feminista que foi presa por lutar pelo direito das mulheres de dirigir no país.

Portal Guaíra com informações do Ric Mais