Rodrigo Chaves, acusado de ter matado a sua ex-sogra Lucélia Chagas, na madrugada do dia 1º de janeiro de 2020, em uma chácara na periferia de Goioerê, foi preso pela Inyterpol (polícia internacional) na cidade de Leiria, em Portugal.

A prisão aconteceu após o MPPR haver pedido a inclusão do réu, foragido, na “difusão vermelha” da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol). A “difusão vermelha” equivale a um mandado de captura internacional, e o pedido de inclusão ocorreu após indícios de que o réu havia fugido para o exterior.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O crime aconteceu em 1º de janeiro de 2020, quando o acusado teria feito dois disparos com arma de fogo, à queima roupa, contra sua ex-sogra.

Após o homicídio, o réu teria deixado o cadáver em um córrego nas proximidades, sendo por isso denunciado também por ocultação de cadáver. Conforme as investigações, após o fim do relacionamento que mantinha com a filha da vítima, o homem vinha tentando insistentemente reatá-lo, o que motivou sua ex-mulher a solicitar medida protetiva contra o ex-marido. Ele teria ido à casa da vítima à procura da ex-mulher.

O MPPR foi avisado na quarta-feira, 14 de abril, sobre a prisão do foragido, ocorrida no dia 12 de abril, segunda-feira. Na quinta-feira, 15 de abril, o Ministério Público deu entrada no pedido de extradição, para que o acusado seja processado e julgado no Brasil.

Portal Guaíra com informações do Goionews